Olá pessoal, bom dia!

Simplesmente adoro  acessórios e bijus  para fazer  um diferencial  nos modelitos que  uso. Sempre que posso, separo uma grana  pra renovar minhas coisinhas. Já perceberam qual é o assunto da vez?

Entra em cena,  o fantástico mundo dos acessórios e  das bijus que fazem a nossa cabeça e do restante do corpo.

Fui fazer uma rápida pesquisa pra saber de quem foi a ideia genial de incrementar o visual com os brincos, pulseiras, bolsas, óculos, colares, piercings, chapéus, bonés, lenços para o cabelo e pescoço. Uma infinidade de produtos para dar aquele up no visu. Tenho certeza que até as meninas mais basiquinhas tem um coringa pra arrasar no visual.

Não é possível encontrar na história o momento exato que a humanidade começou a criar adornos de beleza, mas sabemos  que desde que o Mundo é Mundo, as pessoas gostam de causar boa impressão e impacto. Achei muito interessante a foto do colar mais antigo encontrado no Mundo que foi confeccionado com estilhaços de vulcão.  Olha a foto que interessante.

Eu fiz uma breve associação aos  gregos e egípcios por serem uma das  civilizações  mais antigas do Planeta. Os egípcios tinham uma queda pelo ouro mas por conta da escassez, eles acabaram por desenvolver a filigrana que é uma técnica usada para confeccionar peças com menor quantidade desse elemento químico valioso. Claro que quando falamos de ouro, entendemos que estamos mencionando uma joia e não biju e aqui foi só para entender como as pessoas tiveram a ideia de se  expressarem através da forma de se vestir.

Já os gregos tinham por costume além de usar o ouro, também produziam peças com pratas e  marfim, nos formatos de flores e folhas e as modelavam delicadamente no estilo Oriental. Em terras americanas muitas das peças eram mescladas com ouro, prata, cobre e platina e com o passar do tempo tudo foi se ajustando à sociedade pois em determinadas épocas da historia da humanidade,  o  mercado desses acessórios eram direcionados  para a  sociedade aristocrata que possuíam condições para se produzir com essas joias  que eram  muito caras. Hoje vemos uma variedade de  semi jóias e bijuterias que estão por todos os cantos embelezando e até expressando um movimento e uma forma de pensar.

A  palavra Bijuteria vem do francês Bijouterie, que quer dizer joia, isso mesmo, essa palavra surgiu no final da década de 20, em meio  a depressão norte-americana, e esse termo foi criado para apresentar uma  alternativa para os que não  podiam adquirir uma joia,  abrindo assim,  espaço à versatilidade e à variedade, formando novas  tendências para a  época. A criação dessas novas  peças seguiam por uma produção de trabalhos com metais que imitam o ouro e a prata, e com uma variedade de pedras semipreciosas ou similares, tudo com intuito de baratear e criar mercado.

Atualmente não podemos reclamar, existe uma infinidade de produtos que podemos adquirir sem gastar muito e alguns lugares aqui em São Paulo fazem jus a isso. Quem nunca deu uma passadinha Ladeira Porto Geral pra comprar aquelas peças fabulosas por  preço incrível? Confesso, eu sempre estou por ali, rs.

 

Não estamos falando só das bijus, existe uma porção de produtos que enriquecem a produção de um  visual , a lista é grande e  a criatividade é que entra em cena pois cada um produz o visual segundo o seu estilo, o ideal é não se apegar as regras e ao que o mercado diz que é moda e tendência, seja você mesma,  use aquilo que te faz se sentir linda e poderosa, afinal temos que nos produzir para nos sentirmos bem, belas e estilosas segundo a nossa concepção e o nosso jeito de viver. Segue a sua moda  e aproveita o melhor que existe em você!

 

Bjossss, fuiiiii. 

 

 

 

Sobre o Autor

Dan

Dan

Post Anterior

Café e Música indie - Parte 2

Próximo Post

Eu quero um cabelão!

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *