Entra em cena, uma grande MULHER.

Ana Maria de Jesus Ribeiro, mais conhecida como Anita Garibaldi,   foi uma revolucionária do Século XIX.

Nasceu no dia 30 de agosto de 1821, em Santa Catarina e lutou na Revolução Farroupilha (aqui no Brasil) e contra a invasão do exército austro-húngaro (na Itália) por isso é sempre lembrada como a “heroína dos dois mundos”.

Anita era filha de Bento Ribeiro da Silva, um modesto comerciante de Laguna, descendente de família portuguesa vinda dos Açores. Com o falecimento de seu pai, a menina de 14 anos foi obrigada a casar-se com o sapateiro da cidade e o casamento durou três anos. O marido alistou-se  no exército imperial e Anita teve permissão para retornar para a casa da mãe.

No ano de  1839, ela conhece Giuseppe Garibaldi, um general italiano condenado à morte em sua Terra e vivendo exilado aqui no Brasil. Logo a paixão pelo companheiro a levou aos riscos da guerra. Bem menina aprendeu a manusear armas de fogo  e durante a Guerra dos Farrapos  executou diversas façanhas.  Logo que  surgiu esse  movimento Republicano organizado por Bento Gonçalves da Silva, Anita colocou à disposição um veleiro, homens e alguns fuzis. Participou do combate em Imbituba e da batalha de Laguna onde carregou e disparou com  um canhão. Na  Batalha de Curitibanos, foi capturada pelas tropas do Império, grávida de seu primeiro filho conseguiu escapar à cavalo, atravessou  um rio e  depois de alguns dias sem se alimentar encontrou-se com seu marido.

Ela também lutou na Itália ao lado de seu marido e nunca abandou seus ideias de justiça. Quando seguiram para os  combates em Roma, Anita Garibaldi adoeceu e  acometida por febre tifoide, veio e faleceu aos 27 anos, em 04 de agosto de 1849.  Somente em 1932, o corpo foi  transferido para a colina de Janiculo, localizada em Roma, onde  foi erguido um monumento  em sua homenagem.

A história da humanidade exalta aos  homens e “abafa” a luta das mulheres na linha do tempo. Nós fazemos parte das lutas e já passou da hora de todas nós entendermos que sempre estivemos aqui, sempre lutamos! Eis a prova, aqui está a história de mais uma GRANDE MULHER de nome Anita Garibaldi. 

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *