RESENHA

Argentina para brasileiros

No mês de agosto passei alguns dias de férias na Argentina e gostaria de descrever como foi a minha experiência por lá.

Bom, penso na Argentina, logo me vem a cabeça  algumas figuras como Che Guevara, futebolistas e Mafalfa. Indo um pouco mais profundo na história, tive curiosidade de conhecer um pouquinho da cultura dos  Mapuches, tribo nativa das terras argentinas e chilenas.

Passei oito dias desfrutando desse território  e começo falando da minha querida  Mafalda.

Entra em cena, MAFALDA.

Mafalda é uma personagem dos quadrinhos de Quino. Foi criada na Argentina, no  ano de 1963, para uma campanha  de uma marca local de eletrodomésticos, a  Mansfield.  O autor ao lembrar  de um filme chamado Dar la cara, baseado em um  romance que tinha um bebê chamado Mafalda que era muito expressiva e empática, decidiu colocar esse nome que caia como uma luva em sua personagem principal.  A princípio a Mansfield recusa a ideia e Mafalda é arquivada, retornando apenas no ano de  1964, em  semanário de nome  Primeira Plana , a partir daí  o  sucesso foi garantido e atualmente A Mafalda é a  história em quadrinhos latino-americana mais vendida no Planeta.

Eu tive a oportunidade de ir até a Praça da Mafalda, lá em Buenos Aires e confesso que a foto que foi tirada vai ficar gravada na minha história, na página de sonhos realizados!

Sou fã da ideologia que a Mafaldinha apresenta em seus quadrinhos desde muito tempo. Sabe aquelas fotos que a gente tem vontade de tirar? Sempre pensava que um dia, se eu tivesse a oportunidade de ir até Buenos Aires esse seria um momento que  teria que registrar, ao lado dessa personagem emblemática.

Se você também gosta da Mafalda, dá uma olhadinha nas tirinhas que encontrei:

Bom, meu sonho da foto com a Mafalda se realizou. Minha passagem pela praça ficou registrada em foto e na lembrança. Buenos Aires,   posso afirmar que é um lugar de  belas paisagens, que lembram a Europa. Dali  guardarei lembranças do Rio de La Plata, onde pude visitar um barco da força armada argentina,  das estações de metrô que me levaram até Palermo,  da beleza do Puerto Madero e da visita a  um restaurante “de famosos”, incluindo jogadores de futebol como Messi e Ronaldinho. Segundo Paola Carosella, encontraríamos o melhor churrasco da região, então, sem titubear,  fomos conhecer o LA BRIGADA. CHURRASCO??? ONDE??

Depois dessa experiência gourmet, posso afirmar  que nós brasileiros mandamos muito bem no quesito COMIDINHA GOSTOSA, ponto! A Paolla talvez deva ter visitado o restaurante a muito tempo atrás e o Messi, tive a sensação que realmente não é um jogador bem visto na sua terra natal.

 

Depois de Buenos Aires, seguimos para a patagônia argentina. Foi um trajeto longo, de ônibus, para vermos de perto as cordilheiras dos Andes. Uaaaaaaaaauuuuuuu, paisagem incrível!

No caminho fui  me deslumbrando com  a vasta cadeia montanhosa dos Andes,  lindo demais e praticamente inabitável. Depois de vinte horas de viagem, chegamos ao nosso destino.

Entra em cena, SAN MARTIN DE LOS ANDES.

Esse província  é um sonho, o lugar parece que saiu de algum conto, muito peculiar.

Esta região da Argentina, assim como uma parte do Chile eram  habitadas por tribos  Mapuches. Eu, ser curioso no mundo, comecei a pesquisar sobre essa tribo, pois algo que muito me intrigou foi justamente andar pela cidade de San Martin e não avistar os donos dessa Terra. O significado da palavra Mapuche é  gente da terra e o motivo de não vê-los pela cidade se da pelo fato de  que  os mapuches foram praticamente  removidos de seu território pelos europeus. Sabe aquela história que vemos em terras brasileiras? Ela se repete na Argentina, tudo sempre por uma disputa de território.

Clique aqui e veja o vídeo que fala sobre a cultura Mapuche.

Eu pude registrar vários momentos desse linda província e da beleza que a cerca. O lago Lacar, o passeio de barco até Quila Quina, a estação de esqui na montanha em Chapelco e também os chocolates, doces de leite e os vinhos que degustei. Não posso reclamar, até os momentos de maior tensão como encontrar cachorros gigantescos soltos pelas ruas de San Martin, perder o documento no último dia de viagem dentro de um armário embutido sabendo que não se sai do país sem aquele documento ( essa parte foi realmente assustadora)  e depois de 20 horas de retorno pela Cordilheira dos Andes,  ser simplesmente jogada  com toda sua bagagem numa “marginal argentina” com o tempo restrito para o vôo de regresso.  Tudo isso foi uma bela diversão e valeu muito vivenciar  um pouquinho desse  lugar que  só conhecia de se ouvir falar.

Um pouquinho de San Martin por Dan Massolin

 

Só para finalizar, sabemos  da  rivalidade entre brasileiros e argentinos, mas depois dessa experiência, posso dizer que em todos os povos encontraremos as pessoas  acolhedoras, de bom coração, sempre prontas a ajudar mas  também encontraremos os arrogantes e despeitados! Eu encontrei muitos dos arrogantes e despeitados mas não posso generalizar,  algumas pessoas desse povo argentino farão sempre parte das minhas boas lembranças, os outros, eu simplesmente descarto e vai para a lixeira, até porque, esse tipo de gente não merece lembrança, simplesmente são desconsiderados.  A experiência foi rica e engrandecedora e eu não poderia deixar de registrar o que vivi na minha primeira viagem para terras estrangeiras, e mesmo que me digam que isso não faz parte da minha vida e da minha  “classe social”, já aconteceu, ta na minha história então faz  parte sim. Eu acredito que todos nós temos o direito de desfrutar das maravilhas existentes no Mundo.

Bjosssss, fuiiii!

 

 

 

 

Sobre o Autor

Dan

Dan

Post Anterior

Café e música brasileira

Próximo Post

3 elementos da natureza para tratar os fios - Faça você mesma

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *