RESENHA

Consciência Negra

 

O Dia Nacional da “Consciência Negra” é celebrado  no Brasil desde o ano de  2003. Mencionei o feriado entre parênteses, pelo simples fato de acreditar que a ideia de inventar UM DIA para fazer  menção a toda uma  HISTÓRIA ESCRAVOCRATA   não se encaixa e SERIA insuficiente.

É controverso!

Quem realmente se importa? Pense nisso.

A sociedade clama por uma  CONSCIÊNCIA MAIS HUMANITÁRIA.

Veja o relato de Morgan Freeman e reflita sobre esse assunto.

O próprio ator caracteriza como ridículo e questiona, dizendo: “Qual é o mês da consciência branca? E a consciência judaica? ”

O entrevistador rebate: “COMO VAMOS NOS LIVRAR DO RACISMO?”

Ontem vi muitas postagens “carinhosas” sobre essa comemoração, mas muitos usam de forma artificial, para inflar o próprio ego,  no íntimo, a realidade é outra. Não nos enganemos! Aqui, infelizmente  a lei está do lado de quem pode pagar.  A  lei funciona com DINHEIRO, o Estado funciona, a Educação e a Saúde funciona SE VOCÊ PODE PAGAR O “PRIVADO”. A desigualdade social maltrata as pessoas. Vivemos em uma Nação separatista, seletiva e elitista que proclamam uma “crise” que só existe para o povo. Estamos em terras de bandidos, colarinhos brancos, ladrões dos direitos humanos. Infringem as leis  sem que nada lhes aconteça! O Brasil é uma terra  multicultural, infelizmente formada por uma sociedade dividida, onde um lado se preocupa  com o seu bem estar e dos seus, e do outro lado está o povo largado às margens da marginalidade, da pobreza e do descaso.

Eu  anseio por direitos sociais, por oportunidades aos não privilegiados, sejam esses, brancos, amarelos, vermelhos ou negros. É uma questão social, oportunidades precisam bater à porta de todos e não somente  dos ricos. 

POR UM BRASIL ONDE O CONSCIÊNCIA HUMANITÁRIA PREVALEÇA E NÃO SEJA SOMENTE UTOPIA.

 

 

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.