GRANDES MULHERES

Frida

Na nossa sessão GRANDES MULHERES vamos contar histórias de pessoas que são, ou deveriam ser, ÍCONES da humanidade.

Hoje, o destaque fica por conta de uma pintora mexicana que é inspiração para muitas de nós.

Entra em cena FRIDA KALO.

Frida Kahlo (1907-1954), ou simplesmente,   Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón, nasceu em Coyoacán, no México. Aos seis anos contraiu poliomielite e ficou com sequelas da doença. Aos 18, sofreu um grave acidente de ônibus que a deixou por um longo período no hospital e com a saúde bem debilitada. Depois de se recuperar,  Frida foi estudar desenho e modelagem na Escola Nacional Preparatória do Distrito Federal do México e em 1928 entrou para o Partido Comunista Mexicano, onde conheceu Diego Rivera, um pintor do “Muralismo Mexicano”, com ele se casou.

Depois de casada, Frida Kahlo foi morar com Diego na “Casa Azul”, onde ela  nasceu. No ano de 1930, Frida passou por um  aborto espontâneo e nessa mesma época  foi com o marido aos Estados Unidos, onde Diego expunha  seus trabalhos em Nova Iorque, São Francisco e Detroit. Já na terra do Tio Sam,  Frida  sofre um segundo aborto.

Passou 4 anos nos EUA e em 1934, o casal retorna ao México, e passa pelo terceiro aborto. A artista descobre que seu marido tem um relacionamento com sua irmã e se separa de Diego. Pouco tempo depois, voltam a viver juntos.

Frida teve os dedos de um dos  pés  amputados, sofria fortes dores na coluna mas mesmo com sua saúde debilitada, continuava a produzir sua arte.

Em 1937, Frida conhece Leon Trotski, um intelectual marxista e revolucionário bolchevique, organizador do Exército Vermelho. Ele se refugiou  na casa da artista junto com sua esposa Natália Sedova.  Frida e Diego se separam definitivamente e, Frida faz uma declaração sobre a relação do  casal, ela diz:

“ Diego, houve dois grandes acidentes na minha vida: o ônibus e você. Você sem dúvida  foi o pior deles”.

Em 1939, Frida vai expor sua arte em Nova Iorque e em Paris. Nessa época, explode o  reconhecimento internacional,  Frida torna-se  popular na França. Por intermédio de seu amigo  André Breton que a admirava como Picasso,teve  uma de suas pinturas,  “El marco”,  permanentemente exibido no Museu do Louvre. Foi a primeira mexicana a expor nesse museu.

Existe algumas curiosidades pouco divulgadas,  antes de tornar-se  pintora, Frida foi uma exemplar estudante de medicina, ela também vivenciou alguns  romances  fora do casamento mas nunca deixou de amar Diego Rivera. Frida se relacionou com  Tina Modotti, fotógrafa, Alejandro Gómez Arias, seu amigo de infância e Leon Trotsky, o amigo fugido da Rússia.

Das 200 pinturas de Frida, aproximadamente 55  são auto-retratos. Veja algumas de suas obras:

Essa GRANDE MULHER  usou a sua arte como uma ferramenta de defesa contra tudo que lhe causava dor. Pintar suas tragédias ajudaram Frida Kalo a  enxugar sua raiva, sua tristeza e  frustração.  Aqui deixo uma frase impactante da grande artista que fez história.

 

ATÉ A PRÓXIMA PESSOAL! 

Sobre o Autor

Dan

Dan

Post Anterior

Maria da Penha

Próximo Post

Pobreza no Brasil

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *