Passado toda aquela chuva de felicitações pelo DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES, o nosso canal chega com algumas informações da linha do tempo da história de todas NÓS.

Vamos falar de GENTE COMO A GENTE? Que luta todos os dias por melhores condições, por melhores tratamentos, por respeito e dignidade? Pelo direito de usar o que quiser, de ter suas escolhas, de ser gordinha ou magrinha, caseira ou baladeira, estudante ou viajante, atleta ou motorista do transporte público?

Sabemos  que atualmente fala-se muito sobre a luta pela igualdade de direito entre os gêneros mas a história já registrava atos e manifestações das MULHERES lá no século 18.

A palavra FEMINISMO  apareceu no final do século 19, mas isso não significa que a luta das mulheres tenha dado início junto com a denominação do manifesto. A história registra datas muito inportantes onde as mulheres já questionavam as diferenças.

Em 1792,  a mulher inglesa já começava a exigir seu direito ao voto, além de ser o ano em que Mary Wollstonecraft escreveu “A Vindication of the Rights of Woman”, livro que defendia o direito  a educação para meninas.

Em meados de 1857 algumas operárias de uma indústria têxtil nos EUA foram trancadas e   queimadas dentro da fábrica que trabalhavam. Elas reivindicavam uma  jornada de trabalho mais justa, além do direito a licença maternidade e é justamente por esse motivo que o dia 08 de março, anos mais tarde, foi declarado como o Dia Internacional da Mulher.

Aqui no Brasil, no ano de  1885,  Chiquinha Gonzaga estreou  como a primeira maestrina brasileira e em 1887,  Rita Lobato Velho foi a primeira mulher brasileira a receber o diploma de  medicina da nossa Nação.

Em 1917, a professora Deolinda Daltro fundou o Partido Republicano Feminino e  liderou a  manifestação que exigia o direito de voto às mulheres. Só em 1932 finalmente muda-se  o Código Eleitoral Brasileiro, promulgado por Getúlio Vargas, dando assim o direito ao voto para as mulheres.

DIREITO AO VOTO ÀS MULHERES

Foi no ano de 2006 que  as Autoridades brasileiras sancionaram  a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), aumentando assim  o rigor das  punições em crimes contra a mulher. No mesmo ano, o Parlamento Paquistanês mudou a lei islâmica sobre o estupro, retirando-o das leis religiosas e o incluindo no código penal. Anteriormente, caso a mulher não apresentasse “quatro bons muçulmanos HOMENS” como testemunhas, seria acusada de adultério e em 2010. Nesse ano, Dilma Roussef torna-se a  primeira presidente mulher do Brasil.  após derrotar o candidato do PSDB, José Serra, passa por sua reeleição em 2014, que lhe garantiu o direito a um segundo mandato. Veja AQUI a história dessa GRANDE MULHER.

A Lei do Feminicídio foi criada em 2015 e colocou  o assassinato de mulheres entre os crimes hediondos.

Abaixo segue uma breve linha do tempo relata A HISTÓRIA DE LUTA de  grandes mulheres que estiveram à frente de seus tempos e que se manifestavam por um ideal de justiça e igualdade.

Simone de Beauvoir: pensadora do movimento feminista da década de 60. Foi essa pensadora que promoveu a desconstrução do papel convencional da mulher, o livro “O Segundo Sexo” é citado em debates sobre o movimento feminista, estruturando  as formas de opressão machista.

Laudelina de Campos Melo: fundadora do primeiro sindicato das  trabalhadoras domésticas do Brasil, sa atuação de Laudelina foi  fundamental para o reconhecimento dos direitos da categoria.

Rose Marie Muraro dedicou sua  vida à luta pela igualdade de gêneros e foi reconhecida como a Patrona do Feminismo Brasileiro pelo governo federal. Escritora, intelectual, nasceu praticamente cega e foi a  personalidade singular que a  tornou  uma das mais brilhantes intelectuais de nosso tempo.  Rose Marie Muraro foi eleita, por nove vezes a Mulher do Ano. A militante dos direitos feministas foi palestrante nas universidades de Harvard e Cornell e seus trabalhos como editora foram  um marco na história da resistência ao regime militar. 

VEJA TAMBÉM AS PECULARIEDADES  DESSAS GRANDES MULHERES.

MARIELLE

FRIDA KALHO

CAROLINA DE JESUS

Quanto já alcançamos não é mesmo?

Agora somos nós, parte dessa história, estamos dando continuidade a essa luta, a história continua, estamos avançando e a ideia é que possamos cada dia, mais e mais,  entender a importancia de estarmos juntas, de enfrentarmos as diversas situações, apoiando umas as outras para que possamos  cada vez mais conquistar o espaço que é de nosso direito.

 

FELIZ TODO DIA DAS MULHERES! 
FORÇA!

 

 

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *