PAPO SÉRIO

Todos nós temos consciência de classe?

É de entendimento de todos que, o ser humano antes de “fazer história” precisa estar em condições de viver, e para viver precisa suprir as necessidade básicas de sustento como comer, beber e ter onde morar. Ao ter isso bem esclarecido, entende-se que o primeiro “ato histórico” depende da produção dos meios que supram essas necessidades. A produção da própria vida depende assim do que se produz, essa é a condição fundamental de toda a história até os dias atuais. 

Mas, nós sabemos como essa “máquina” funciona? Compreendemos de fato no que isso interfere e transforma nossa história como indivíduo inserido no espaço capitalista?

Esse é um tema polêmico mas de muita importância. O seu debate é preciso pela simples constatação de uma sociedade desigual, onde aqueles que detém o capital, em sua maioria das vezes, explora todos aqueles que vendem sua força de trabalho. É bem simples, nem é preciso adentrar nas discussões mais radicais para verificar a veracidade desses fatos da história do mundo.

Todos nós temos consciência de classe?

Bom, essa foi a pregunta inicial e historicamente analisando a linha do tempo da nossa terra de nome Brasil é difícil perceber essa tal de “consciência de classe” na grande massa brasileira. Triste mas real. Somos um povo que se compadece dos ricos mas que dá as costas para sua realidade, pelo simples fato de viver a ânsia e o desejo de fazer parte da classe social que enxerga o trabalhador como seu servo.

Abstendo-me da intenção de ser partidária, sabemos que a luta por direitos e por uma sociedade mais igualitária necessariamente deverá partir da classe trabalhadora, operária ou proletariado, chame como quiser, mas de fato lutar por direitos é um ato político daqueles que pouco possuem. Sem luta não tem conquista e se a classe trabalhadora está dividida, o povo sofrerá com as consequências simplesmente por não entender que muitas vezes é a massa que assina a sua própria exploração.

Pense, reflita e entenda que todos nós somos indivíduos políticos e é importante saber de que lado você está.

Não aceite alienação, faça história!!

Se você quer entender melhor sobre esse assunto, CLIQUE AQUI.

Por hoje é isso! Até mais pessoal!

Sobre o Autor

Dan

Dan

Eu sou a combinação genética de imigrantes portugueses e italianos, nascida aqui, nessa terra brasileira que muito admiro. Meu objetivo é crescer como pessoa, como humano e aprender cada dia mais e mais. A arte de ensinar é minha paixão. Ler e escrever fazem parte do meu ser, meu hobby!

Ao ler me torno participante da história, crio um mundo paralelo e ultrapasso o tempo e o espaço!

Ao escrever, me liberto. Registro um pouco do que sou, das minhas aspirações. Falo sobre aprender mas também tenho bagagem para ensinar. As palavras criam as mais variadas sensações e emoções da vida humana, despertam valores e criam vínculos.

Escreva sua história, seja autor da sua vida, faça o bem e seja grato. Esse é o meu lema!

Dan Massolin

Post Anterior

Os gregos explicando o AMOR

Próximo Post

Como é que os professores se transformam em Educadores Libertadores?

Sem Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *